19 de novembro de 2012

Por que Deus permite a ação do demônio?


Hoje falarei um pouco sobre a minha função de expulsar demônios. Penso ser importante falar desse tema para situá-los, pois se entendemos o porque Deus permite a ação do demônio nesse emundo vamos entender muitas coisas que nos acontecem.

Vou começar falando do início de tudo...
Houve um tempo em que Deu estava sozinho. Era uma época onde somente estava Deus no eterno presente. Nele não passava as horas nem os minutos. Ele estava plenamente feliz e não precisava de nada. Deus era Pai, Filho e Espírito. As vida das três pessoas da Santíssima Trindade era plena, não havia solidão nenhuma e Deus, na Sua bondade, decidiu fazer mais seres para participar da felicidade d'Ele.
Deus se dá a todos. Deus não coloca nenhuma restrição.

No Céu, essencialmente, o prêmio é igual para todos nós: Deus mesmo, mas cada um experimenta numa medida. Isso é assim porque as coisas são assim. Isso não é decisão de Deus. Ele já se dá ao máximo lá no Céu.

Deus pode fazer o que Ele deseja, mas a felicidade ao contempĺar Deus depende de cada um. Segundo somos, assim O experimentamos.

Como dar para melhor uma alma? Deus gostaria que nós experimentássemos mais dessa felicidade e isso iria requerer que nós nos transformássemos mais, e aí entra a provação.

Deus colocou uma provação para os anjos se tornarem melhores e a provação para eles foi através da fé, e nessa provação eles poderiam desenvolver as virtudes.

Os santos padres quando falam da santificação dos seres humanos, chamam esse processo de divinização através da paciência, castidade, sacrifício, da fé, e através do esforço e da generosidade, vamos nos transformando cada vez mais parecidos com Deus.

Deus não quer que ninguém sofra, se Ele pudesse evitar esse sofrimento Ele o faria, mas é como Ele dissesse: Eu posso tirar esses sofrimentos, ma você que quer se transformar no mais profundo de sua alma, alcançará isso através das provações.

Se Deus dá a liberdade, é um risco que temos que correr. Se Ele não quisesse que houvessem demônios, então teria que criar o processo de santificação.

O mal não foi um erro da criação de Deus.

Deus, para que o ser humano se santificasse, dava coisas boas e permitiam coisas ruins. Se não tivesse existido o pecado original não teríamos nos santificado através do trabalho santificado, da penitência.

O sofrimento é importante para que nos santifiquemos .

Para o nosso bem, Deus permitiu que a serpente tentasse Adão e Eva e, também, a nós.
Deus permite o sofrimento em nossa vida: doenças, problemas na família... em várias maneiras e intensidades para a nossa santificação.

Jesus como homem se santificou, se esforçou.

Deus não concedeu nos santificar apenas através da tentação, mas para que brilhasse mais o Seu poder concedeu ao ser humano a capacidade de combater o demônio e afastá-lo. Olha o plano maravilhoso de Deus: deu-nos capacidade de resistir ao demônio e combate-lo!


Nós, na Igreja, podemos fazer isso: não somente resistir ao demônio, mas também expulsá-lo. Os sacerdotes podem exorcizá-lo e vocês, leigos, oram pedindo para que os demônios se afastem do mundo.

Deus poderia afastar o demônio apenas com um ato de vontade, mas você se santifica nesse processo de resistir ao demônio e de rezar e se penitenciar para que ele se afaste.
Esse plano de Deus é sumamente inteligente.

Ás vezes, nós jogamos na "cara" de Deus de que Ele não nos livra do mal porque não compreendemos o lado de Deus, esse plano que Ele usa para nos santificar.
Quantas vezes dizemos: Se Deus nos escutasse não teria acontecido isso de mal, e com esse comportamento parecemos crianças, que não entendem muitas coisas.

É melhor morrer um bom budista do que como um católico ruim, largado na santidade.

Se aquele budista chegou um nível tal de santidade, e um católico chegou a um nível de santidade baixo, ou um protestante se santificou mais que um católico, é preferível ter a alma desse protestante.

O que Deus está vendo é alma da pessoa.
Deus é muito paciente com todas as religiões. Nós que somos seguidores de Deus não podemos ser mais duros e exigentes que o próprio Deus. O que vale é a alma dessas pessoas.

Quem se enche de Jesus não achará que o demônio tem mais poder do que Ele tem.
É preciso abrir as janelas da alma para a Luz de Cristo. Quanto mais você se centraliza na Salvação de Jesus é melhor. Uma pessoa cheia de Jesus, que tem fé em Cristo, não tem medo do demônio. Sim, acreditem que existe o demônio, mas não vivam atemorizados por causa disso. E lembrem-se tudo é para sua santificação.

Se a luta contra o demônio não me leva mais a Deus, de nada vale.
Não tenham medo!

Padre José Fortea
Sacerdote exorcista e autor do Tratado de demoniologia (Espanha)

Fonte: CN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Serão excluídas mensagens de cunho ofensivo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...