19 de fevereiro de 2012

Mensagem do bispo de Bragança-Miranda revela que dinheiro da renúncia quaresmal vai para o Instituto Diocesano do Clero

(19/2/2012) A mudança de vida é uma obrigação ao alcance de todos mas exige a disciplina do corpo, considera o bispo de Bragança-Miranda na sua mensagem para a Quaresma.
A “conversão, escutada no contexto da Quaresma, recorda-nos, fundamentalmente, que precisamos de mudar o olhar e as atitudes do coração”, pelo que ela “não é só um dever, mas é, também, uma possibilidade para todos”, salienta D. José Cordeiro no texto publicado no jornal Mensageiro de Bragança.
A Quaresma, explica o responsável, “prepara convenientemente para o grande jejum pascal, a fim de que a mortificação do corpo progrida em todos para o bem dos centros vitais da vida humana: o coração, a mente e a alma”.
O especialista em liturgia cristã recorda que as antigas celebrações quaresmais eram marcadas pela “ penitência dos penitentes públicos que, expulsos no dia de Quarta-feira de cinzas [primeiro dia da Quaresma], eram admitidos à reconciliação na Quinta-feira Santa”.
Os 40 dias da Quaresma concentram-se na preparação para o Batismo, que ocorre na principal celebração litúrgica do ano, a Vigília Pascal, na noite de sábado para domingo de Páscoa, bem como na penitência e na celebração da Eucaristia, o sacramento mais importante para os católicos.
O responsável pela diocese transmontana, 500 km a nordeste de Lisboa, lembra que a duração da Quaresma liga-se à narrativa bíblica do “jejum de quarenta dias de Jesus no deserto”, que por seu lado remonta a várias tradições do Antigo Testamento onde aquele número marca presença.
A mensagem revela que o Instituto Diocesano do Clero vai ser o destino da renúncia quaresmal, prática em que os fiéis abdicam da compra de bens adquiridos habitualmente noutras épocas do ano, reservando o dinheiro para uma finalidade especificada pelo bispo.
As verbas revertem para a “formação permanente dos Presbíteros e Diáconos” e para a “reconstrução da parte central do edifício do Seminário Diocesano de S. José”, que acolhe a Casa Sacerdotal e o Centro Pastoral.
“Para realizar a tão urgente formação dos fiéis Leigos é absolutamente necessária a formação permanente do Presbitério”, justifica D. António Cordeiro, o mais novo dos bispos do episcopado português. 

Fonte: Rádio Vaticano

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Serão excluídas mensagens de cunho ofensivo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...