4 de fevereiro de 2012

De onde vem a tentação que estou sofrendo?


A realidade espiritual que nos cerca é real; seja a realidade que nos inspira para o bem, seja para a realidade que nos inspira para o mal.
O importante é que não podemos deixar que estas realidades passem despercebidas em nossas vidas, seja por falta de conhecimento ou até mesmo por esquecimento devido ao nosso dia a dia tão corrido.
E queria aqui chamar atenção para uma das realidades espirituais que nos cerca e que é de fundamental importância: A tentação!
Não quero aqui tratar da tentação vista somente de maneira teológica, ou querer fundamenta – la ou algo deste tipo; mas quero expor uma realidade da tentação na pratica, que muitos homens experimentados em Deus aprenderam e que devemos ter a mesma postura.
Muitas pessoas perguntam como distinguir se estamos de fato sendo atingidos por uma tentação que tem a origem no diabo, ou se a tentação que estamos sofrendo provem de nós mesmos, da nossa concupiscência
É uma pergunta um pouco difícil de ser respondida, pois muitos fatores precisariam ser analisados para podermos chegar a uma conclusão mais acertada. Mas um bom critério para fazermos este discernimento é analisarmos como surgiu esta tentação, como ela nasceu dentro de nós. E para isso não é preciso muito tempo de discernimento não, até mesmo porque onde quero chegar com você em relação a este conceito de tentação, diz exatamente de tempo, e por isso não se pode perder muito tempo até mesmo no discernimento sobre a tentação.
Analise como foi que esta tentação surgiu: Foi de alguma situação que você viveu? Foi de algo que você viu? De algo que você ouviu?
Que área da sua vida esta tentação esta querendo atingir: É a sua Afetividade? É a sua Sexualidade? É o seu emocional, seu psíquico?
Qual a via que a tentação esta se utilizando: Pensamentos? Emoções? Fantasias? Lembranças? Imaginação?
Tudo isso nos ajuda a discernir quem esta por detrás da tentação que estamos sofrendo.
Um ponto que é fundamental para este discernimento é a intensidade e a constância na qual esta tentação esta atuando. Se você percebeu que de repente e sem nenhum motivo surgiu algum tipo de tentação sobre você, e a mesma veio de maneira muito violenta, com uma intensidade muito grande, não receio em dizer que é quase certa que esta tentação provenha do Maligno, do diabo, de forma a te atingir diretamente e sem querer dar tempo para que você reaja contra ela.
Uma outra forma de discernimento é a constância que esta tentação permanece atuando sobre você. Se você percebe que uma tentação permanece por muito tempo atuando sobre você, também não receio em dizer que a mesma provenha diretamente do diabo.
É difícil de fato ter a convicção de onde a tentação provenha. Não existe uma regra para o diabo agir, ele é sorrateiro, inteligente e muito astuto quando o assunto é fazer cair os filhos de Deus.
Não é regra geral, mas geralmente uma tentação que provenha na nossa natureza humana, da nossa concupiscência, ela é estimulada por algo que nos chame a atenção ou que nos seja prazeroso, ela precisa receber um estimulo para ser despertada e ai vai tomando espaço dentro de nós, até que se alimentada por muito tempo concebe o pecado!
Já a tentação que vem diretamente do Maligno pode até mesmo surgir do mesmo modo, de algo que nos estimulou, e logo recordamos de algo que vivemos, e se não a rejeitarmos conceberemos o pecado. Mas neste caso então, é preciso que nos foquemos nos dois critérios que citei acima: Intensidade e Constância!
Quero aqui citar um exemplo simples, mas que nos ajudará a entender um pouco a diferença entre uma e outra:
“Um homem por muito tempo que foi um dependente do álcool, um alcoólatra;  estava na passando na rua, em direção a sua casa e passou em frente a um bar na qual por muito tempo ele frequentou. Ao passar pelo bar seus pensamentos começaram a relembrar os momentos que ele estava ali bebendo e se divertindo, e novamente ele começa a sentir vontade de beber, mesmo que seja pouco este desejo de ir lá e beber é real dentro dele. Mas ele se lembra de toda a luta que foi para largar o álcool e tudo o que de ruim as consequências do álcool trouxeram para a vida dele. Ele continua a andar e tenta por alguns minutos esquecer tudo o que viveu e tenta esquecer este desejo de ir lá e beber. Passado algum tempo o desejo se foi, passou como se nunca estivesse existido.”
É possível que esta tentação que este homem acabou de vivenciar tenha vindo da sua própria concupiscência. Pois foi estimulada pela lembrança quando passou em frente ao bar, porque depois de um tempo de luta ela deixou de atormentar este homem, então a intensidade e a constância não fugiram da normalidade.
A outra situação é também relacionado a um dependente do álcool, e  é a seguinte:
“Um homem esta em sua casa arrumando o encanamento da pia para sua esposa, e ali ele esta concentrado no trabalho. De repente e sem nenhum motivo aparente este homem é tomado pelas lembranças de quando ele ficava naquele bar bebendo. Se lembra ainda dos companheiros e de toda a diversão vivida ali. As lembranças são tão intensas que o seu corpo começa a reagir mostrando o desejo e o prazer que a bebida lhe trazia. Este homem se lembra que o bar é próximo a sua casa, e que talvez se ele for lá ele nem mesmo beba, mas quer ir lá somente para rever os amigos e conversar um pouco. Aqueles pensamentos não param em sua mente, e ai ele começa com uma auto sugestão de que se ele for lá e tomar somente um copo de cerveja ele não irá voltar a cair no vicio. Estes pensamentos por mais que o homem tente rejeita – los eles persistem e vão montando articulações nos seus pensamentos de que este homem já superou a dependência do álcool e que não haverá problema ir até este bar…”
É possível que esta tentação tenha vindo diretamente do Maligno. Pois não a estimulou, surgiu de repente. A intensidade e a constância por mais que este homem rejeitasse este pensamento, continuaram! Os seus pensamentos já começaram incentiva – lo a ir ao bar não para beber, mas para rever os amigos; pura estratégia de satanás querer manobrar a realidade e disfarçar a verdadeira intenção. Logo depois a tentação começa e lhe sugerir que este homem já superou o seu vicio e que, somente um copo não lhe fará mal algum! Mais uma vez satanás quer mascarar a verdadeira intensão!
Coloquei este exemplo simples para começarmos a ficar atentos ao nosso dia a dia, as tentações que temos sofrido e como a mesma tem se comportado dentro de nós!
E para terminar – pois escreverei ainda mais para frente sobre a tentação – quero dizer que nada melhor do o Espirito Santo a nos ajudar neste discernimento sobre a tentação. Peça ao Espirito Santo o Dom Carismático do Discernimento dos espiritos, na qual lhe ajudará a discernir a fonte do mal que lhe atinge!
Rezo por você e pelas intenções que você traz no seu coração!
Que Deus possa lhe abençoar e te dar todas as armas necessárias para vencer suas lutas no dia a dia!

DATA DA PUBLICAÇÃO: 04/02/2012
Fonte: livresdetodomal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Serão excluídas mensagens de cunho ofensivo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...